segunda-feira, 9 de novembro de 2015

“Nada é eterno”

Caros amigos

Ao fim de mais de uma dezena de anos, cheguei à conclusão que as estatísticas não são favoráveis para que exista uma continuidade do Blog Rodagem. Sendo assim, não me resta outra alternativa se não, dar por terminado este projeto a que dediquei muito para que ele fosse uma outra realidade.

Resta-me agradecer a todos a vossa atenção, e colaboração.  

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Félix da Costa abandona na primeira corrida da época da Fórmula E na China


Não correu bem a António Félix da Costa a ronda inaugural da temporada 2015 / 2016 da FIA Fórmula E, com o piloto luso a abandonar na corrida de hoje disputada em Beijing, na China. Apesar da boa recuperação inicial que fazia antever um lugar nos pontos para Félix da Costa, um problema técnico deitou por terra qualquer hipótese do jovem da Team Aguri.
Depois de ter sido 10º e 4º nas duas sessões de treinos livres, Félix da Costa apontava para uma boa qualificação, mas a verdade é que a equipa Japonesa Team Aguri sentiu grandes dificuldades em manter a performance até ai evidenciada nos seus monolugares, com Félix da Costa a ser apenas o 16º mais veloz na qualificação. Na corrida desta manhã AFC atacou forte nas voltas iniciais e efectuou uma excelente recuperação até ao 9º lugar, altura em que um problema técnico com a bateria do seu monolugar o fez perder bastante tempo até chegar às boxes para mudança de carro. Ainda assim o piloto de 24 regressou à pista mas viria mais tarde a abandonar na 13ª volta devido a um toque com Jacques Villeneuve, acidente que Félix da Costa fez questão de assumir a responsabilidade: "assumo por completo a culpa, foi no momento em que saia das boxes e procurava reajustar no volante as configurações do mapa das baterias e acabei por cometer um erro e não consegui evitar o acidente com o Villeneuve, que pessoalmente fiz questão de lhe pedir desculpa no final. De qualquer forma a minha corrida já estava destruída, pois o problema que tive antes relacionado com a bateria fez-me perder muito tempo e perdi ai todas as hipóteses de terminar em 6º ou 7º, lugar que estava a lutar até essa altura da corrida" , afirmou o único representante luso na FIA Fórmula E, campeonato que cada vez mais ganha o seu espaço no automobilismo Mundial, conforme se viu hoje em Beijing, com o público a encher as bancadas.
Sebastien Buemi (E-Dams Renault) começou da melhor forma a sua participação na nova época da Fórmula E, dominando por completo a corrida de hoje, com Lucas di Grassi (ABT Audi Sport) a terminar no 2º lugar e Nick Heidfeld (Mahindra) a fechar os lugares do pódio.
Apesar deste inicio não positivo Félix da Costa promete continuar a trabalhar arduamente para melhorar a performance da sua equipa Team Aguri, reconhecendo no entanto que "temos muito trabalho pela frente até à próxima corrida na Malásia, teremos de fazer alguns ajustes na equipa rapidamente, isto se queremos lutar pelos pontos regularmente", referiu o piloto de cascais. A próxima corrida da Fórmula E tem lugar em Putrajaya na Malásia, no dia 7 de Novembro.

Luís Oliveira, Beto Borrego e João Dias vencem em Portalegre


António Maio (Moto) e Tiago Gomes (Quad) são os novos campeões nacionais.
Luís Oliveira interrompeu ciclo de 11 triunfos seguidos de Patrão e Maio.
Beto Borrego somou a quarta vitória da temporada.
No Desafio Polaris Joana Lopes venceu, mas Ricardo Megre conquistou o troféu.
Com o sol a brilhar no primeiro dia e a chuva a cair no segundo, a Baja Portalegre 500, sétima e derradeira etapa do campeonato nacional de todo-o-terreno, fez jus a sua tradição de prova rainha da modalidade e sagrou os dois campeões nacionais que faltava coroar da temporada 2015: António Maio nas duas rodas e Tiago Gomes nos Quad.
Com uma excelente organização do Automóvel Clube de Portugal a prova alentejana teve como vencedores Luís Oliveira nas motos, Beto Borrego nos Quad e João Dias nos UTV/Buggy.
Luís Oliveira quebrou 11 anos de hegemonia Patrão/Maio
Após onze anos consecutivos de vitórias de Mário Patrão (6) e António Maio (5) a prova das motos ficou marcada pelo triunfo de Luís Oliveira que uma semana antes se sagrara Campeão Nacional de Enduro. Depois de uma vitória no prólogo, o piloto da Yamaha foi superado por Mário Patrão num segundo setor seletivo que este ano foi também incluído na primeira etapa e que teve partida de Ponte de Sor. Para o segundo dia de corrida, cujo arranque teve lugar no Crato, Mário Patrão apostava tudo em vencer, aguardando por um eventual deslize de António Maio que partiu para esta corrida debilitado fisicamente, mas a necessitar apenas de terminar na 5ª posição. O deslize acabou por vir do lado do campeão 2014, que teve uma saída de pista que abriu caminho ao triunfo de Luís Oliveira por escassos 26 segundos.
António Maio cumpriu os seus objetivos e depois de ter ganho todas as anteriores corridas em que participara esta temporada, averbou um quarto lugar que foi mais do que suficiente para conquistar o primeiro título absoluto da sua carreira.
Sebastian Buhler, companheiro de Maio na Yamaha, alcançou o derradeiro lugar no pódio e na despedida do título da classe TT1, bem se pode congratular de ter triunfado em todas as corridas que disputou do CNTT, num ano de 2015 marcado por diversas lesões.
Para além de António Maio conquistaram também títulos nas respetivas classes, Gustavo Gaudêncio (Honda), novo campeão TT1, após seis anos de paragem e que foi ainda sexto classificado absoluto e Fausto Mota (KTM) que venceu entre as TT3 e terminou em 8º lugar.
Excelentes resultados também para David Megre (KTM), que foi o 5º classificado e para um estreante em Portalegre, o brasileiro Ricardo Martins em Yamaha, líder do campeonato do seu país, que terminou na 7ª posição.
A encerrar o Top 10 ficaram o jovem Salvador Vargas (KTM), campeão promoção em 2014 e que aqui foi segundo na classe TT3 e o veterano Pedro Oliveira (Yamaha), que venceu a classe destinada a pilotos com mais de 40 anos. Mesmo não terminado a prova, João Piloto sagrou-se vencedor do Troféu Nacional de Promoção, enquanto Catarina Sampaio conseguiu superar o desafio de se estrear e completar com sucesso uma participação na mítica Baja Portalegre 500 onde tantas vezes participou o seu pai Rodolfo Sampaio.
Beto Borrego ganha e Tiago Gomes é campeão
A competição destinada aos Quad teve um sabor muito alentejano e com predominância para o distrito de Portalegre. O piloto de Ponte de Sor, Beto Borrego, em Yamaha, venceu e convenceu. No prólogo o mais rápido tinha sido Ruben Alexandre (Yamaha) que tinha feito o melhor tempo, mas na corrida Beto Borrego foi alargando a sua vantagem para o jovem do Crato até ter mais de 15 minutos de vantagem quando estavam percorridas mais de três centenas de quilómetros e este se atrasou de forma muito significativa.
Passou então para a segunda posição João Peraboa, piloto de Portalegre, aos comandos de uma Suzuki que em VC10 (Km 355) já tinha uma desvantagem superior a 30 minutos para Beto Borrego. Contudo quem veio a terminar no 2º lugar foi André Carita, piloto de Nisa, que vencera esta Baja em 2013.
Vítima de uma queda, que o deixou um pouco maltratado, o líder do campeonato Tiago Gomes (Suzuki) foi forçado a abandonar quando, já perto do final da corrida, seguia na 3ª posição e ia controlando o seu mais direto adversário António Moreira, o outro candidato ao título.
O terceiro lugar em que Moreira veio a terminar não permitiu contudo ao veterano piloto de Vila Nova de Famalicão chegar a um título que premiou uma excelente temporada no todo-o-terreno do piloto de Freestyle Tiago Gomes.
Vitória de João Dias e estreia do Polaris Turbo
Numa corrida marcada pela estreia europeia do novíssimo Polaris Turbo, a máquina americana começou por impressionar no prólogo, ao ocupar as três primeiras posições. João Lopes, que esta temporada tinha somado triunfos em todos os prólogos, foi desta feita batido por Teo Viñaras com o irmão deste piloto espanhol, Roberto, a ocupar o terceiro lugar.
Da parte da tarde a corrida registou algumas baixas de vulto já que Roberto Viñaras, António Ferreira e Bruno Martins, respetivamente 3º, 4º e 6º do prólogo, foram forçados a abandonar, o mesmo acontecendo com a campeã das senhoras, Dorothee Ferreira.
O segundo dia de prova começou com mais um abandono, o de Teo Viñaras e com João Lopes a confirmar a liderança na primeira centena de quilómetros, altura em que o futuro vencedor João Dias assumiu o controlo das operações, mantendo-se no comando da corrida até ao final dos 450 quilómetros cronometrados desta Baja Portalegre 500.
Na segunda posição terminou Pedro Santinho Mendes, um dos poucos pilotos que completou todas as corridas de 2015, sendo o 3º lugar ocupado pelo já campeão nacional João Lopes. Um pódio inteiramente Polaris, como aliás quase todos os desta temporada.
Ainda em Polaris terminaram nas posições seguintes Miguel Jordão, vencedor da classe Promoção, Mário Ferreira, que triunfou entre os veteranos, Paulo Delgado e João Monteiro, que terminou à frente dos seus pais Jorge Monteiro e Ana Cristina Monteiro, num CanAm Maverik.
A primeira máquina abaixo do 1000 cc encerra o Top 10 e foi pilotada por José Cerqueira enquanto a vencedora das senhoras, Rita Oliveira completou a prova na posição seguinte. Vitória entre os Buggy para o Nanny pilotado por Daniel Russo e um merecido destaque para a prestação de um piloto paraplégico, o inglês Paul Rowlands, que levou o seu Polaris Turbo ao 13º lugar.
 Joana Lopes vence no Desafio Polaris e Ricardo Megre conquista o Troféu
A Baja Portalegre 500 era também a quarta e derradeira jornada do Desafio Polaris, competição destinada aos pequenos Polaris ACE 570 que é a mais recente aposta em termos de promoção e procura de novos valores no âmbito das competições de todo-o-terreno em Portugal.
O experiente e ex-piloto de velocidade Ricardo Megre já sabia que vencendo o prólogo, o troféu era seu, mas teria naturalmente também ambições numa corrida lançada há 29 anos pelo seu pai, José Megre.
Todavia, tanto ele com Filipe Ferreira, vencedores das duas anteriores corridas (a de Reguengos foi cancelada pelos trágicos motivos que se conhecem) cedo ficaram pelo caminho. No duelo que opôs Joana Lopes a Alexandre Freitas, coube à irmã do novo campeão UTV/Buggy o triunfo, se bem que por escassos 30 segundos
Os Hobby animaram a festa
Foram mais de sete dezenas os pilotos Hobby ou participantes nas várias classe de Promoção criadas pelo ACP que estiveram à partida da Baja Portalegre 500 e que muito animaram esta 29ª edição da mais importante competição nacional de todo-o-terreno.

Classificações Final do Campeonato
Moto:
1º António Maio, 93 pontos;
2º Mário Patrão, 88;
3º Gustavo Gaudêncio, 63;
4º Ruben Faria, 58;
5º Fausto Mota, 53;
6º David Megre, 48.

Quad:
1º Tiago Gomes, 84;
2º Beto Borrego, 80;
3º António Moreira, 80;
4º André Carita, 41;
5º Ruben Alexandre, 27;
6º Alexandre Silva, 21.

UTV/Buggy:
1º João Lopes, 95;
2º Miguel Jordão, 68;
3º Pedro Santinho Mendes, 66;
4º Teo Viñaras, 50;
5º João Dias, 48;
6º Dorothee Ferreira, 48.

Ramos e Parente na decisão do título em Barcelona.


O título de Campeões do International GT Open 2015, é o objetivo da dupla Miguel Ramos / Alvaro Parente, para a última corrida desta época, a disputar em Barcelona no próximo fim-de-semana. A dupla Portuguesa lidera a tabela no Mclaren 650S da Teo Martín Motorsport, seguidos por Michele Rugolo / Pasin Lathouras a 35 pts e Ezequiel Perez Companc / Raffaele Giammaria a 42 pts.
No próximo fim de semana, o Circuit da Catalunya será o palco da corrida de todas as decisões. Duas corridas (uma no Sábado e outra no Domingo) que serão o epílogo duma longa caminhada, na qual a dupla Portuguesa, que partilha o McLaren 650s da Teo Martín Motorsport, tem estado ao melhor nível.
Mais uma vez e comprovando a extrema competitividade deste Campeonato, a decisão sobre o título foi prolongada até à ultima corrida. Tal como é costume, também este ano, a ultima prova será bastante concorrida, pois para além dos habituais participantes no Campeonato, a corrida da Catalunha atrai sempre muitos pilotos e equipas de outras competições um pouco por toda a Europa, que se deslocam ao Sul para o término da época desportiva.
Para a dupla Ramos / Parente no McLaren #2 da Teo Martín Motorsport, o objetivo está bem definido e é obviamente a conquista do Campeonato, conforme comentou Miguel Ramos “para esta ultima corrida do ano, está em jogo o título do International GT Open. Temos feito uma temporada fantástica, mantendo-nos sempre no primeiro, ou muito perto do primeiro lugar da classificação e com uma grande luta entre os três principais candidatos ao título. Para Barcelona não antevejo facilidades, antes pelo contrário pois estamos na frente e somos o alvo a ultrapassar. De qualquer modo, não posso encarar esta ultima prova a não ser com muita ambição e muita vontade de trazer para Portugal o título de Campeão no International GT Open. Eu e o Álvaro estamos muito motivados pela época que temos vindo a fazer e vamos empenhar-nos totalmente para o conseguir. Sabemos que mais uma vez teremos contra nós muito handicap devido à vitória em Monza, mas o regulamento é assim mesmo e não há nada a fazer. Só há um caminho, dar sempre o nosso melhor em pista, sabendo de qualquer modo, que o principal objetivo é o Campeonato”.
À entrada para Barcelona, o International GT Open é liderado pela dupla Miguel Ramos / Álvaro Parente com 192 pts (- 8pts que a dupla terá obrigatoriamente que deitar fora se fizer um resultado melhor ou igual a 8 pontos, = 184 ), seguidos por Michele Rugolo / Pasin Lathouras - 157 pts ( 35 – 8 = 27 de diferença) e Ezequiel Perez Companc / Raffaele Giammaria - 150 pts ( 42 – 8 = 34 diferença ).
No programa do evento para além das corridas do GT Open, no próximo fim de semana estarão em ação os participantes no Euroformula Open, os carros do Radical European Masters e a Seat León Eurocup. Como habitualmente, o International GT Open tem cobertura televisiva na: Motors TV (pan-European) e SportTV entre outras, para além da habitual Live Streaming TV no site www.miguelramossport.com
Horário Previsto

Sábado, 31 de outubro
09.00/09.35 – Qualifying -  Radical European Masters Championship
09.45/10.15 – Qualifying - SEAT León Eurocup
10.25/10.55 - Qualifying – 1 - Euroformula Open
11.05/11.35 - Qualifying – 1 - International GT Open
12.00 - Race – 1 - Radical European Masters Championship       
14.00 -  Race – 1 - SEAT León Eurocup - 14 laps - max. 40´
15.00 - Race – 1 - Euroformula Open - 17 laps – max. 35´
16.00 - Race – 1 -  International GT Open - 70´
live streaming em www.miguelramossport.com
MotorsTV -  (14:50 Race 1 Live)
SportTV5  - (20:10 Race 1 Diferido/Delayed)

Domingo, 1 de novembro
09.00/09.30 - Qualifying – 2 - Euroformula Open
09.40/10.10 - Qualifying – 2 - International GT Open
10.35 - Race – 2 - Radical European Masters Championship - 60´
12.00 - Race – 2 - SEAT León Eurocup     14 laps – max - 40´
13.00 - Race – 2 - Euroformula Open - 17 laps – max. - 35´
14.00 - Race – 2 - International GT Open - 60´
live streaming em www.miguelramossport.com
15.30 - Race – 3 - Radical European Masters Championship - 60´
MotorsTV  - (12:50 Race 1 Live)
SportTV5 - (15:30 Race 1 Diferido/Delayed)

António Maio é o novo Campeão Nacional de Todo-o-Terreno nas duas rodas


Piloto da Equipa Yamaha Pinhelworks alcançou título na Baja Portalegre 500.
António Maio conquistou na Baja Portalegre 500, a derradeira prova do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, o título de campeão nacional da categoria moto. No terceiro ano em que o piloto discutiu o campeonato em Portalegre, António Maio conseguiu alcançar o ambicionado título.
Apesar de ter terminado a prova alentejana em quarto lugar este resultado foi suficiente para se sagrar campeão: “ é um título que sabe por três. Já corríamos atrás dele há muito tempo e quando é assim ainda sabe melhor. Penso que é um título merecido, tanto para mim como para a esta equipa onde se vive um espirito de união e de entreajuda muito forte. Fico feliz por uma equipa amadora chegar ao lugar mais alto do pódio num campeonato tão disputado como é este”, contou o piloto da Yamaha Pinhelworks que tem no seu currículo cinco triunfos nesta prova alentejana.  
António Maio apresentou-se nesta corrida após um mês de convalescença fruto de uma queda ocorrida antes da penúltima prova do campeonato, a Baja TT Idanha-a-Nova. De notar que António Maio venceu todas as provas em que participou ao longo da temporada 2015, a saber: Raid TT a Góis, Raid da Ferraria, Baja TT Cidade Europeia do Desporto Loulé 2015 e Baja TT Proença-a-Nova/Oleiros/Mação.
Sebastien Buhler, o jovem piloto da Yamaha Pinhelworks, também teve motivos para sorrir nesta Baja Portalegre 500 uma vez que venceu a classe TT1 e alcançou um brilhante terceiro lugar da classificação geral: “foi um dia de festa para a nossa equipa. Foi um dia bom para o António Maio porque correu tudo bem, felizmente. Esta temporada para mim não foi das melhores porque sofri algumas quedas, mas nas provas em que participei correu bem e consegui vencer. O objetivo é manter-me mais um ano na classe TT1 ”, referiu o piloto na chegada a Portalegre.
Menos sorte teve Luís Teixeira campeão TT3 em 2014 e que se apresentou em Portalegre com hipóteses de discutir o título nacional na Classe. O piloto algarvio tinha de vencer para poder aspirar a ser campeão e esteve boa parte da segunda etapa nessa situação até sofrer uma queda que danificou a sua moto e que o impossibilitou de prosseguir em corrida. Conquistou todavia o título de vice campeão da sua categoria.
Para Frederico Fino, o gestor da equipa: “o balanço que faço desta época é obviamente muito positivo. O nosso principal objetivo era ganhar o título absoluto que conseguimos alcançar em Portalegre e sem dúvida que tem um sabor muito especial uma vez que andávamos atrás dele há já cinco anos. O António Maio dominou toda esta temporada e se não fosse o percalço que teve antes de Idanha-a-Nova tenho a certeza que poderia ter vencido todas as provas do campeonato. A prestação do Sebastien Buhler foi também impecável. Ganhou a classe TT1 e teve uma excelente performance ao terminar em terceiro da geral. Em relação ao Luís Teixeira também fez uma ótima corrida e acabou por se sagrar vice-campeão da sua categoria que é bastante positivo”.

Tiago Monteiro preparado para a estreia do WTCC na Tailândia


Tiago Monteiro já está na Tailândia onde este fim-de-semana de 31 de Outubro e 1 de Novembro decorre a penúltima jornada do WTCC, naquela que é a primeira visita do Campeonato àquele país. Tiago Monteiro desconhece o Circuito Internacional do Buriram, aliás como a maioria dos seus adversários pelo que a prova será um enorme desafio para todos. O piloto da Honda espera por isso conseguir o melhor resultado possível e que isso signifique pontos importantes para as contas do Campeonato.
O programa do fim-de-semana será alterado face ao habitual. Tantos as sessões de qualificação como as corridas serão todas disputadas no Domingo, ficando para sábado apenas a realização dos treinos livres. Tiago está consciente que tem pela frente muito trabalho para fazer com toda a sua equipa: "Não conheço a pista mas por aquilo que estive a ver não será uma pista favorável aos nossos carros. É um traçado com duas rectas longas que nos penaliza, sobretudo se tivermos em conta que temos 40 quilos de lastro. Vamos ter que nos adaptar e tentar gerir o melhor possível, até porque as altas temperaturas e os níveis de humidade vão também desempenhar um papel importante", começou por explicar.
Tiago não esconde o seu objectivo para as duas jornadas que faltam ainda disputar esta época: "Quero recuperar o quarto lugar nas contas do Campeonato. Neste momento estou a 13 pontos quando estão em jogo 110. Tudo é possível. Certo é que com mais ou menos adversidades vou dar o melhor para amealhar o maior número de pontos possível".
O Eurosport este fim-de-semana só transmitirá em directo as corridas no Domingo às 9.15h e às 10.15h.

Beirão da Veiga na última do Eurocup em Barcelona


Lourenço Beirão da Veiga disputa este fim-de-semana em Barcelona a última ronda do Seat Leon Eurocup, campeonato onde representa as cores da Libolo Bull Racing. Depois de uma temporada de adaptação da sua equipa, o piloto de Lisboa quer terminar a temporada com um bom resultado.
O circuito de Montmeló é assumidamente um dos preferidos de LBV, que mantém no entanto algumas reservas para o fim-de-semana que se avizinha: "Sempre me dei bem com o circuito de Montmeló, quer na Fórmula 3, como nos GT´s e também nos anos que corri aqui na Supercopa Seat, no entanto cada fim-de-semana é um novo desafio para a Libolo Bull Racing e o principal objectivo é não cometer erros, estar fora das confusões e toques no meio do pelotão e sobretudo estar rápido na qualificação, de forma a garantir um lugar nas primeiras filas da grelha", referiu Beirão da Veiga, que continua a ser extremamente respeitado nos paddocks de Espanha, em grande parte devido ao titulo Espanhol de GT´s que conquistou em 2009, na altura ao volante de um Ferrari 430 GT2.
Numa altura em que falta disputar apenas uma jornada dupla, o titulo do Seat Leon Eurocup vai-se decidir este fim-de-semana entre Stian Paulsen e Poll Rosell, empatados na liderança do campeonato. Beirão da Veiga procura encerrar a época com um bom resultado na época de estreia da sua equipa Libolo Bull Racing em competições automobilísticas. O programa do fim-de-semana inicia-se 6ª feira com as habituais sessões de treinos livres, com a qualificação a ter lugar Sábado bem cedo, seguindo depois a primeira corrida. Domingo dar-se-á por encerrada a época 2015 do Seat Eurocup, com a decisiva corrida do ano.

Miguel Jordão conquista Prémio Fedima


O jovem Miguel Jordão foi o vencedor do Prémio Fedima ao ter sido nomeado pelos restantes participantes da categoria Buggy/UTV como o piloto que mais se destacou na Baja TT Idanha-a-Nova, pelo seu fairplay e combatividade. Com mais esta conquista, Miguel Jordão torna-se no primeiro piloto a ganhar dois troféus da marca ao longo da temporada 2015. A entrega do prémio foi realizada hoje, em Portalegre, dia em que se cumprem as verificações técnicas e administrativas na Baja Portalegre 500.
A atribuição do prémio Fedima Fairplay/Combatividade tem vindo a distinguir, em cada uma das jornadas desta temporada 2015, um piloto da disciplina UTV/Buggy, a quem é oferecido o respectivo diploma e um vale de 50 euros de desconto em pneus, sem imposição de valor mínimo e válido para pneus comerciais, 4x4 e competição.
A escolha do piloto ou equipa eleita é da responsabilidade de todas as equipas da disciplina UTV/Buggy, realizada após o decorrer de cada uma das provas, sendo que, após a recolha de todas as nomeações, o prémio é entregue ao piloto vencedor na competição TT seguinte.

Recordamos os vencedores das várias jornadas:

Raid TT a Góis – Miguel Jodão
XXVIII Raid TT da Ferraria –Dorothee Ferreira
Baja TT Cidade Europeia do Desporto – Loulé: Teo Viñaras
Baja TT Proença-a-Nova/ Oleiros /Mação – Bruno Martins

Baja TT Idanha-a-Nova – Miguel Jordão
Vídeo entrega de prémio Fedima: https://www.youtube.com/watch?v=U--VKiAUVXI

Desafio Polaris na Baja Portalegre 500


Ricardo Megre lidera competição monomarca.
O Desafio Polaris, troféu destinado aos pequenos ACE 570 do construtor americano, vai disputar a sua quarta e última jornada na mítica Baja Portalegre 500, prova que marca o final do Campeonato Nacional de 2015. Os pilotos desta competição monomarca já cumpriram as habituais verificações técnicas e administrativas e já estão preparados para enfrentar amanhã o prólogo e o primeiro sector seletivo da prova alentejana.
Ricardo Megre assume, neste momento, a liderança do troféu com uma clara vantagem sobre a piloto Joana Lopes, a segunda classificada deste Desafio Polaris. O piloto da Megre Motorsport confirmou o primeiro lugar após a Baja TT de Idanha-a-Nova, numa altura em que travava uma batalha aguerrida com Filipe Ferreira. O piloto que venceu a competição em Proença teve, todavia, um contratempo na prova que levou à sua desistência, situação que abriu caminho para o primeiro triunfo de Ricardo Megre. Alexandre Freitas, que terminou a Baja TT de Idanha-a-Nova no segundo posto, segue na quarta posição do troféu.
A Baja Portalegre 500 inicia-se amanhã com um prólogo de 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão um setor seletivo com 150 km.

Classificação do Desafio Polaris ACE 570 (após a 3ª prova)
1º Ricardo Megre (JL Racing), 52 pontos;
2º Joana Lopes (JL Racing), 34;
3º Filipe Ferreira (Garonda), 29;
4º Alexandre Freitas (JL Racing), 22.

Bruno Oliveira na Baja Portalegre 500


Equipa apoiada pelas Termas da Ferraria de regresso às provas internacionais.
Depois de em Agosto ter completado com sucesso a sua participação na Hungarian Baja, o piloto Bruno Oliveira está de regresso às provas internacionais da World Cup for Cross Country Rallies, para disputar a mítica Baja Portalegre 500, jornada também pontuável para o Desafio Total/Mazda e Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno.
Na prova alentejana, o piloto do Açores TT Team estará de novo aos comandos da Mazda CX-5 Proto, acompanhado de Paulo Marques, participando no evento FIA e não apenas no evento nacional como em anos anteriores. “Estamos de regresso às competições internacionais depois da participação muito interessante na Baja da Hungria. Como sempre, o nosso grande objetivo é fazer a promoção das Termas da Ferraria junto de milhares de pessoas e aqui em Portalegre estão equipas das mais diversas nacionalidades, além de que a prova é difundida um pouco por todo o mundo. A nossa Mazda tem tido um comportamento irrepreensível, pelo que estamos muito motivados para mais esta competição. Esta é uma prova muito especial para todos nós e estamos apostados em conseguir também um bom resultado desportivo ”, salienta Bruno Oliveira, o piloto da Mazda CX-5 cuja decoração visa promover o magnífico ícone açoriano que são as Termas da Ferraria, na ilha de S. Miguel nos Açores.
A Baja 500 Portalegre inicia-se no dia 23 com um prólogo de 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão mais dois setores seletivos (SS3 e SS4) com cerca de 150 e 200 km respetivamente.

Félix da Costa pronto para o inicio da Fórmula E na China


Terminada a época no DTM, onde António Félix da Costa foi uma peça crucial na conquista do título de construtores para a BMW, as atenções do piloto luso centram-se este fim-de-semana na corrida inaugural da temporada 2015 / 2016 da FIA Fórmula E, que tem lugar em Beijing (China).
Para Félix da Costa será uma estreia no circuito citadino de Beijing, que conta com dezassete curvas e vários pontos de ultrapassagem, pelo que o trabalho de simulador efectuado neste inicio de semana foi fundamental para o piloto luso: "Antes de viajar para Pequim, estive na 2ª feira no simulador da equipa no Mónaco e foi bom para chegar à China com as referências e noções de ataque neste circuito bem técnico", referiu o piloto da Team Aguri que vê na fiabilidade do seu carro o maior trunfo para esta corrida inaugural, visto a sua equipa Team Aguri ser uma das duas únicas formações que optou pela continuidade das baterias SRT01_e para a nova época, ao contrário da maioria das equipas que desenvolveu as suas próprias baterias: "acredito que poderemos ser premiados pela fiabilidade, muitas equipas poderão ter problemas técnicos nestas primeiras corridas e temos de aproveitar, extraindo o máximo do nosso potencial aqui na China. Estou motivado para esta nova época na Fórmula E e estou certo que a experiência que adquiri no ano passado vai ajudar a equipa a desenvolver novas ideias em termos de tecnologia nas nossas baterias", referiu o piloto de 24 anos que venceu uma corrida na temporada inaugural da FIA Fórmula E, no circuito citadino de Buenos Aires.
António Félix da Costa é um dos nomes sonantes da temporada 2015 / 2016 da FIA Fórmula E, numa verdadeira constelação de estrelas com destaque este ano para Jacques Villeuneuve, Ex-Campeão do Mundo de Fórmula 1, Nelson Piquet Jnr. (actual Campeão da Fórmula E), Jean Eric Vergne, Sebastien Buemi, Nicolas Prost, Bruno Senna, Nick Heidfeld, Vitantonio Liuzzi, entre tantos outros. A Fórmula E continua a crescer e oferece aos fãs a possibilidade de votarem nos seus pilotos favoritos, dando-lhes um "fanboost", que é nada mais que um aumento de energia nas suas baterias, que é normalmente utilizado para ultrapassagens em momentos decisivos. As votações encontram-se abertas em fanboost.fiaformulae.com e Félix da Costa encontra-se entre os mais votados no 2º lugar, bem perto do líder Nelson Piquet Jnr.
O programa da corrida de Beijing deste fim-de-semana inicia-se amanhã (6ª feira) com uma sessão de reconhecimento ao traçado, centrando-se depois na totalidade no dia de Sábado, com duas sessões de treinos livres, seguindo-se a qualificação. A corrida com duração de vinte e seis voltas terá transmissão em directo na Sporttv2 a partir das 08:30 (hora Portuguesa).

António Maio vai lutar pelo título em Portalegre


Piloto da Equipa Yamaha Pinhelworks, apesar de condicionado devido a lesão, vai competir para ser o próximo Campeão Nacional.
António Maio confirmou a sua presença na Baja Portalegre 500 última jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, que arranca já amanhã com as verificações técnicas e administrativas.
O piloto da Equipa Yamaha Pinhelworks, que recentemente fraturou a clavícula na sequência de uma queda, está de regresso às competições com o grande objetivo de lutar pela conquista do título de Campeão Nacional de 2015. Apesar de estar consciente que um mês e uma semana de recuperação foram de todo insuficientes para se apresentar em boa forma, António Maio está apostado em conseguir ter um desempenho que lhe permita pelo menos assegurar o quinto posto da classificação geral, resultado que será suficiente para se sagrar campeão: “Temos estado a trabalhar na recuperação física de modo a que possa chegar a Portalegre o menos condicionado possível. Depois será cerrar os dentes e fazer o melhor possível. É uma prova de gosto muito, conto com uma excelente moto e uma equipa altamente dedicada e vou ter de ultrapassar mais esta dificuldade“, referiu António Maio.
A restante formação da Equipa Yamaha Pinhelworks será composta por Sebastian Buhler e por Luís Teixeira e ambos pilotos partem para esta Baja Portalegre 500 com objetivos bem definidos. O mais jovem piloto desta equipa tem a ambição de vencer na sua classe: “Estou muito bem preparado e extremamente motivado, não só para vencer a minha classe como para fazer um bom resultado à geral. Quero aproveitar ao máximo esta magnífica prova para ter prazer de pilotar a minha excelente moto com a qual ganhei todas as corridas que disputei esta temporada“, referiu Sebastien Buhler. Já Luís Teixeira, apesar de ter consciência que esta prova é longa e difícil, acredita que tem todas as condições para lutar pelo título de campeão na classe TT3: “Parto com o firme propósito de vencer a classe. Tenho moto e sinto-me preparado para isso. É certo que isso pode não chegar para revalidar o título, mas vou acreditar até ao fim“ acrescentou o piloto.
O responsável da equipa Frederico Fino optou, nesta Baja Portalegre 500, por ficar de fora: “decidi não competir porque nesta corrida há demasiadas variantes que temos que ponderar e considerámos que eu seria mais útil do lado de fora. Assim, e em prol da equipa, desta vez ficarei na assistência”, expôs o gestor da Equipa Yamaha Pinhelworks.
A Baja 500 Portalegre inicia-se no dia 23 com um prólogo de 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão um setor seletivo com 350 km

Marcos Moraes na Baja 500 Portalegre em Nissan T1


Organizador do Rally dos Sertões e bi-campeão brasileiro de Rally Cross-Contry.
Campeão brasileiro de Rally Cross-Contry em 2012 e 2012, vice-campeão em 2010 e 2014, organizador do famoso Rally dos Sertões, Marcos Moraes, uma referência do Todo-o-Terreno no Brasil, vai estar à partida da 29ª edição da Baja 500 Portalegre.  
Acompanhado de Fábio Pedroso, seu habitual navegador, o piloto brasileiro vai participar na prova portuguesa da Taça do Mundo aos comandos da Nissan Navara T1 BAMP preparada por Ricardo Leal dos Santos cujo enorme potencial ficou recentemente demonstrado na Baja Aragón.
Marcos Moraes já por diversas vezes participou na prova portuguesa. Nos anos 90 competiu de moto e mais recentemente na competição auto, sendo esta a sua quinta participação consecutiva nesta disciplina. Em 2015 o piloto brasileiro soma cinco triunfos nas seis etapas que disputou do campeonato brasileiro de Rally Cross-Contry.
A Baja 500 Portalegre compreende um prólogo com 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km que terão lugar na sexta-feira dia 23. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão mais dois setores seletivos (SS3 e SS4) com cerca de 150 e 200 km respetivamente.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

CNTrial 4x4 Rebordosa: Impossível faltar


Falta menos de uma semana para a grande final do Campeonato Nacional de Trial 4x4 2015. Em Rebordosa já está tudo pronto para receber as muitas equipas inscritas para esta derradeira jornada. Além de muitas equipas, a organização desta 6.º prova espera também muito público e por isso criou várias soluções para que todos possam assistir a esta última etapa. Na cidade de Rebordosa estarão disponíveis 3 parques de estacionamento gratuitos (junto à A Celer, perto da Igreja Matriz e no Parque da cidade) onde o público pode apanhar um autocarro, que passa de 15 em 15 minutos, até ao local da prova. Este transporte é disponibilizado pela organização e não tem qualquer custo. Para a última etapa do Campeonato Nacional de Trial 4x4 estão ainda reservadas algumas novidades que vão certamente aliciar as equipas: 2000€ em prémios. Os primeiros classificados das classes Absoluto, XL e Super Proto recebem um prémio monetário de 500€, enquanto que ao segundo e terceiro classificados de classe é atribuído material todo terreno.Ao primeiro classificado da classe Promoção e do Memorial José Costa é entregue um prémio monetário de 250€. A organização é da responsabilidade do clube TT Paredes Rota dos Móveis, com o apoio do Clube TT Trilhos do Norte e sob a égide da Federação Portuguesa de Todo-o-Terreno Turístico, Trial e Navegação 4x4. A grande final do CNTrial 4x4 2015 está marcada para 25 de outubro, em Rebordosa, Paredes.

Sábado, 24
16.00 - 20.00 Secretariado, verificações técnicas e administrativas
16.00 - 20.00 Parque fechado (Centro da Cidade de Rebordosa)
20.30 Briefing c/ os pilotos noAuditório da Cooperativa A CELER
Domingo, 25
08.00 - 09.00 Abertura parque fechado
08.00 - 10.00 Secretariado, verificações técnicas e administrativas
09.00 Deslocação até local da prova
10.00 - 12.00 Prologo para qualificações pré-grelha
12.15 Publicação de tempos
12.00 - 13.30 Pausa para almoço
13.30 - 13.50 Entrada em Parque Fechado / Grelha de Partida
13.55 Neutralização
14.00 - 17.00 Inicio prova Resistência Campeonato Nacional Trial 4x4 (3 horas)
15.00 - 17.00 Inicio prova de Resistência Classes da Promoção (2 horas) Inicio prova de Resistência Classe Memorial Jose Costa
17.05 Divulgação das classificações Oficiais Provisórias
17.30 Divulgação das classificações Finais Oficiosas
17.30 Cerimónia de entrega dos prémios
(programa poderá sofrer alteração)

Nuno Santos quer vencer frente à armada estrangeira


Piloto quer consolidar a liderança no Super 7 by Kia.
A penúltima ronda do Super 7 by Kia 2015 realiza-se já no próximo fim-de-semana no Autódromo Internacional do Algarve e Nuno Santos está concentrado nas vitórias para conquistar o máximo de pontos e consolidar a liderança na competição.
O piloto de Lisboa lidera o Super 7 by Kia com uma vantagem de apenas 3 pontos para o segundo classificado, Sérgio Saraiva, mas acredita que pode voltar a ganhar e garantir pontos importantes na revalidação do título.
A jornada de Portimão do Super 7 by Kia reúne todas as condições para a “tempestade perfeita”. Há, sete pilotos separados por 15 pontos. Essas diferenças dão a oportunidade para todos ambicionarem a conquista do troféu e, como tal, a competição está ao rubro. Para além disso, juntam-se cerca de duas dezenas de equipas inglesas que, apesar de não tirarem pontos, vão tornar as corridas mais confusas e emocionantes. Por fim, a meteorologia antecipa chuva.
“Vamos ter um fim-de-semana empolgante em Portimão. Estou à frente do troféu mas a vantagem é muito pequena. Tenho de me concentrar em ganhar uma diferença maior para os meus rivais mas sei que a tarefa não será nada fácil. Prevê-se que haja 40 carros em pista. Eu vou correr e tentar fugir das confusões. Acho que vou ser mais calculista do que o habitual, mas não em demasia. É certo que vou atacar e dar o máximo para andar na frente. Quero andar na frente e ganhar corridas”, salientou Nuno Santos.
A vinda dos Super 7 britânicos é mais um aliciante para esta jornada e o detentor do troféu português não esconde que está muito entusiasmado. “É fantástico partilhar a pista com grelhas tão preenchidas como a que vamos ter em Portimão. Eu adoro competir e poder fazê-lo com o maior número de adversários é fantástico. Para além disso, não sabemos qual a real valia de cada uma das equipas e isso traz um grau de incerteza que vai promover o espectáculo”, disse o piloto.
Nuno Santos vai para a pista logo na sexta-feira, dia 23. O piloto realiza a sessão de treinos cronometrados entre as 17h30 e as 18h10. No sábado, a acção começa cedo com a primeira corrida entre as 8h20 e as 9h00. No domingo, o derradeiro confronto está agendado para para as 15h10.

Miguel Barbosa aposta na conquista do título


Piloto do BP Ultimate Vodafone Team em busca de vencer o campeonato pela sétima vez.
 Portalegre recebe, de 22 a 24 de Outubro, a última etapa do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno onde a dupla Miguel Barbosa/Miguel Ramalho se apresenta muito bem posicionada e altamente motivada para atacar a conquista do título absoluto da modalidade. Uma conquista que, a concretizar-se, permitirá ao piloto do BP Ultimate Vodafone Team somar um record de 7 títulos de campeão nacional.
Miguel Barbosa, que se irá apresentar na Baja Portalegre 500 aos comandos de um Mitsubihi Racing Lancer, terá na mítica prova alentejana, os habituais adversários do Campeonato Nacional, mas também aqueles que se apresentam para disputar a derradeira jornada da Taça do Mundo.
O piloto do BP Ultimate Vodafone Team encara com muita determinação esta importante jornada de todo-o-terreno. “Portalegre é sempre uma grande corrida e nós vamos enfrentá-la sabendo que temos objetivos muito precisos para cumprir. Vamos lutar por alcançar um resultado que nos permita conquistar o título. Tudo o que conseguirmos para além disso será bem-vindo. Temos trabalhado ao longo de todo o ano para alcançar esta meta. Estamos bem posicionados, muito motivados e a equipa está preparada para enfrentar e superar todas as dificuldades típicas deste grande evento desportivo”.
Miguel Ramalho salienta que “teremos eventualmente de ponderar os efeitos do estado do tempo no desempenho a adotar ao longo da competição. Lá para quinta ou sexta-feira teremos uma noção mais concreta sobre das previsões do tempo. Para já não estamos preocupados com isso”.
A Baja 500 Portalegre inicia-se no dia 23 com um prólogo de 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão mais dois setores seletivos (SS3 e SS4) com cerca de 150 e 200 km respetivamente.

Rita Oliveira enfrenta Baja Portalegre 500


Piloto da Vangest preparada para competir na mítica prova alentejana.
Rita Oliveira vai competir na última jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, desta feita, a Baja Portalegre 500 a derradeira prova pontuável para o campeonato e também a final da Taça do Mundo FIA. A piloto da equipa Vangest cumpre já na quinta-feira as habituais verificações técnicas e administrativas da competição e mostra-se confiante num bom resultado: “esta corrida é especial e sinto-me muito desafiada para competir. Quero estar ao meu melhor nível e trabalhámos para que os resultados apareçam. O nosso Polaris está ótimo e acredito que vai ser uma jornada muito disputada”, referiu Rita Oliveira.
Aos comandos do seu Polaris RZR 1000, preparado pela Filipe Sport, a piloto Rita Oliveira parte com o objetivo de vencer entre as senhoras: “quero-me concentrar para esta corrida e fazer o melhor resultado possível à geral. Se possível também ambiciono ficar no primeiro lugar entre as senhoras. Mas, acima de tudo, quero terminar a época da melhor forma possível e penso que a Baja Portalegre é uma boa prova para mostrar o nosso valor. Vai ser uma corrida divertida e com um alto nível de competitividade”, revelou a piloto.
Acompanhada por Luís Engeitado, Rita Oliveira tem estado em destaque na temporada de 2015 do campeonato nacional ao terminar todas as competições em que participou e assume, neste momento, o 2º lugar entre as senhoras.
A Baja 500 Portalegre inicia-se no dia 23 com um prólogo de 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão um setor seletivo com 350 km.

RallySpirit, fábrica de emoções


O RallySpirit está pronto para sair para a estrada e “fabricar” emoções junto dos amantes do automobilismo e dos ralis, em particular. Nos próximos dias 30 e 31 de outubro todos os caminhos vão dar à Vila do Coronado, onde se disputará uma prova única em Portugal, capaz de reunir alguns dos carros mais emblemáticos e com melhor palmarés na história do automobilismo nacional e internacional. Abram alas, o espetáculo vai começar...
Quando pelas 22h00, do dia 30 de outubro, se iniciar a Cerimónia de Partida Simbólica do I RallySpirit, em São Romão do Coronado (Trofa), estar-se-á a escrever história no desporto automóvel português. Será a primeira vez que Portugal receberá uma prova que juntará alguns dos mais representativos carros do panorama automobilístico português e internacional, numa aliança entre passado e presente, que, por certo, deixará a sua inolvidável marca e que “fabricará” muitas emoções entre os milhares de espectadores que se espera acompanhem a prova. Até porque, nalguns casos, as viaturas serão guiadas por pilotos também eles com passado histórico revelante ou estrelas dos ralis da atualidade.
Carros de ex-equipas oficiais do Campeonato do Mundo de Ralis tão emocionais como o Lancia Delta Integrale 16v e o Toyota Celica Turbo 4 WD, juntam-se a viaturas que marcaram uma época, como o fantástico Ford Escort RS1800 da equipa Diabolique Motorsport ou, num plano moderno, o Porsche 997 GT3 do Team Vespas. O passado e o presente cruzam-se na mesma prova pelo que, no fundo, haverá, também dois ralis diferentes – RallySpirit Históricos e RallySpirit Contemporâneos – para que a verdade desportiva e competitiva nunca fique em causa.
Serão 50 os carros que marcarão presença na prova idealizada pela Xikane, com a colaboração do Clube Automóvel de Santo Tirso e da Vila do Coronado, num rali onde o processo de escolha dos participantes foi bastante seletivo, já que todos os concorrentes ou foram diretamente convidados pela organização, ou foram submetidos a um criterioso processo de candidatura e seleção.
Mas, já se sabe, por muito carismáticos que sejam, os carros nunca andam sozinhos, pelo que também será possível contar no RallySpirit com pilotos de inquestionável qualidade, a começar logo por Bernardo Sousa (Ex-Campeão Nacional de ralis e participante no Campeonato do Mundo de Ralis WRC2) que guiará um dos carros ‘0’ da prova e a terminar em Alexandre Camacho (Campeão de Ralis da Madeira), passando por Pedro Leal (um dos principais protagonistas do Campeonato Nacional de Ralis nas últimas décadas), Paulo Azevedo (ex-Campeão Nacional de Ralis Clássicos), Joaquim Bernardes (atual Campeão Nacional de ralis Clássicos), Manuel Castro (atual Vice-campeão Nacional de Ralis Produção) ou Jorge Ortigão (ex-Campeão Nacional de Ralis Turismo), entre outros.
Presença de maior destaque, e que serve para atestar a importância da prova, será a do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, que tomará mesmo parte na ação, como co-piloto do Presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, Manuel Mello Breyner, que, de forma esporádica, também voltará a colocar o capacete, 26 anos depois ter sido piloto oficial da Renault nos ralis. Para Pedro Ortigão, o principal mentor do RallySpirit, “antes mesmo do rali arrancar já conseguimos a primeira vitória que foi reunir uma lista de carros de extrema qualidade, bem como envolver alguns dos grandes nomes do automobilismo nacional, num ano de arranque em que sempre assumimos que a prova teria um foco, sobretudo, nacional. De resto, a presença de uma alta patente do Governo, como o Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, e do Presidente da FPAK, Manuel Mello Breyner, acaba por dar ainda maior notoriedade e validade ao projeto do RallySpirit, que tem agora todas as condições para crescer nos próximos anos e continuar a ser tão acarinhado pelo público e os amantes dos ralis como o foi desde a primeira hora”.
De recordar que o RallySpirit tem um esquema de prova extremamente compacto. Inicia-se a 30 de outubro (sexta-feira) com uma Cerimónia de Partida simbólica em S. Romão do Coronado (Trofa), onde, se situará também o Parque de Assistência do rali, ou seja, o centro nevrálgico da ação e o palco privilegiado para o público apreciar as máquinas envolvidas na competição e privar com os pilotos.
Depois, no dia seguinte, o rali contará com seis provas especiais, ou seja, duas classificativas  – S. Romão do Coronado (8,02 km) e Serra (6,65 km) – repetidas por três vezes, que perfazem perto de 45 km disputados ao cronómetro, a que correspondem cerca de 87,16 km de percurso total.   
Estão, portanto, reunidos todos os ingredientes para uma grande prova automobilística que, certamente, permitirá a muitos aficionados viajar na “máquina do tempo” e viver emoções do passado... no presente!

Diabolicus Engineering com Mariano Pires na Taça de Portugal de Karting


A Diabolicus Engineering prepara-se para alinhar na Taça de Portugal em Karting, na Categoria Júnior, com o piloto Mariano Pires, jornada que tem lugar no Kartódromo dos Milagres, Leiria, nos dias 24 e 25 de Outubro.
A equipa de Ponte de Lima, que surgiu em 2013 no panorama dos desportos motorizados, prepara-se para enfrentar um novo desafio com um jovem piloto com provas dadas no karting nacional.
Mariano Pires, originário de Ponte de Lima, foi este ano vice-campeão nacional de karting na Categoria Júnior, conseguindo três vitórias nas cinco jornadas. Para além disso, está apurado para as finais Mundiais Rotax que têm lugar este ano em Portugal, mais concretamente no Kartódromo Internacional de Portimão, O piloto limiano já disputou estas finais em 2014, no Kartódromo Internacional Lucas Guerrero, em Valência, Espanha.
Do seu curto palmarés, constam, entre outros, o titulo da Rotax Séries Portugal em 2014. No ano anterior, no seu primeiro ano na categoria Júnior, e com apenas 12 anos, Mariano Pires obteve um excelente 3º lugar no Campeonato Rotax Series Portugal.
Para esta participação na Taça de Portugal em Karting, o objetivo passa por arrebatar o troféu, sabendo de antemão da dificuldades que vai encontrar, tendo em conta a forte concorrência que encontrou no Campeonato Nacional.
Já a Diabolicus Engineering, é uma jovem equipa formada em há cerca de dois anos. Dois jovens engenheiros decidiram juntar esforços e oferecer uma proposta diferente e completa aos seus clientes. Nesta altura, a equipa de Ponte de Lima presta apoio, entre outros, a Tiago Vilela e Hugo Negrais no Desafio FEUP, Categoria 2, ocupando a primeira posição deste disputado Troféu.
No seu curto percurso já consta a vitória na Taça Bridgestone 2013 com André Serafim na categoria X30 Shifter, entre outros. Na génese da formação esteve o karting, mas a equipa já começou a entrar também no mercado do automobilismo e pretende afirma-se com convicção no mundo do desporto motorizado.

Oceanotrade Racing Team sem pressões


Hélder Oliveira e Nuno Rodrigues da Silva já colecionaram quatro pódios na presente temporada. Três segundos lugares e um terceiro fazem com que a dupla da Nissan Navara Off Road ocupe o 3º lugar absoluto no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. Sonhar com o título ainda é matematicamente possível, embora as contas a fazer em Portalegre sejam demasiado complicadas para atingir essa possibilidade, pois a equipa não depende apenas de si. No entanto, o objetivo principal da Oceanotrade Racing Team está praticamente garantido, uma vez que sempre apontou para os três primeiros lugares do campeonato.
“Claro que ainda temos hipóteses matemáticas de chegar ao título, e enquanto elas existirem teremos de continuar a acreditar. Não há qualquer tipo de pressões, porque essa possibilidade não depende apenas de nós, por isso iremos fazer uma prova tranquila. O nosso objetivo sempre foi terminar o campeonato entre os três primeiros classificados, e isso está quase ao nosso alcance. Depois de quatro pódios consecutivos, vamos tentar subir de novo esses degraus em Portalegre, embora a concorrência seja enorme. Mas iremos sempre lutar por isso. A Nissan Navara Off Road está preparada para mais este grande desafio, com a eficaz assistência da M. Racing”, disse Hélder Oliveira.
Ausente do país por motivos profissionais, Paulo Graça não pode acompanhar a prova no terreno, como é seu hábito. O responsável pela Oceanotrade Racing Team vai acompanhar a Baja Portalegre 500 à distância, mas com todo o entusiasmo e emoção.
“Toda a equipa está preparada para mais este grande desafio e pronta para proporcionar ao Hélder e ao Nuno o melhor resultado possível. Só lhes quero desejar muita sorte para uma prova muito difícil, mas fantástica, como é sempre a Baja de Portalegre”, afirmou Paulo Graça.

Pedro Grancha na Taça do Mundo


Lugares cimeiros são prioridade.
A Baja Portalegre 500 é a derradeira prova da Taça do Mundo FIA de Ralis Todo-o-Terreno de 2015, ocorrendo pouco tempo depois do Rali de Marrocos. Um desafio com um sabor especial para a longa lista de participantes, onde Pedro Grancha ocupa uma posição de destaque como piloto prioritário FIA. Acompanhado por Pedro Velosa, o piloto de Cascais pretende lutar pelos lugares cimeiros da classificação geral aos comandos do seu BMW Evo X1.
“A nossa prioridade é andar sempre nos primeiros lugares da classificação geral, tendo como objetivo terminar entre os cinco primeiros classificados”, afirmou o mentor da PMG Motorsport.
Pedro Grancha ocupa o 4º lugar no Campeonato Nacional de TT de 2015, depois de ter realizado apenas três provas. A Baja de Portalegre é uma prova especial para o piloto, onde já registou excelentes resultados.
“Esta é uma prova mítica. Para além das alterações de figurino, as pistas são as mesmas onde me sinto bastante confiante, pretendendo repetir os bons resultados que já consegui alcançar”, afirmou o piloto, com entusiasmo.
Depois do positivo 3º lugar obtido em Idanha-a-Nova, a última prova do Campeonato Nacional, Pedro Grancha está confiante no comportamento do BMW Evo X1 assistido por Filipe Sport.
“Os problemas de motor, que nos limitou o andamento na última prova, estão completamente resolvidos, sentido portanto total confiança para enfrentar uma prova tão dura e seletiva como é Portalegre”, concluiu Pedro Grancha.
A 29ª edição da Baja Portalegre 500 arranca na próxima 6ª feira às 09h30 com a disputa do Prólogo na Herdade das Coutadas. Para a parte da tarde ficam agendados mais 85 km, enquanto o sábado, 24 de outubro será preenchido por dois setores seletivos de 150 e 200 km.

Campeonato Nacional de TT decide títulos em Portalegre


Duelo Maio vs Patrão pelo terceiro ano consecutivo, Tiago Gomes e António Moreira disputam título nos Quad. João Lopes (UTV/Buggy absoluto), Dorothee Ferreira (Senhoras e Veteranos UTV/Buggy) e Luís Aguiar (Veteranos Moto) já são campeões.
Depois de três etapas na serra beirã, duas no Alentejo e uma no Algarve, o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno regressa agora ao Alentejo para, sob a batuta do Automóvel Clube de Portugal, se disputar, na Baja 500 Portalegre, a sua derradeira jornada.
António Maio, Tiago Gomes e João Lopes lideram respetivos campeonatos
De registar, à partida para esta derradeira jornada, o título já conquistado por João Lopes, entre os UTV/Buggy, depois de, aos comandos do seu Polaris, ter obtido quatro triunfos em cinco pontuações possíveis. Também António Maio, nas motos, tem exercido forte domínio, já que o piloto da Yamaha venceu as quatro corridas que disputou. Uma queda antes da prova de Idanha impediu-o de participar na prova beirã e remeteu a luta pelo título para Portalegre, o que acontece pelo terceiro ano consecutivo. Já nos Quad as vitórias foram repartidas entre Tiago Gomes, que lidera o campeonato aos comandos de uma Suzuki, o veterano António Moreira e Beto Borrego, ambos em Yamaha, com este último a vencer por três vezes. Todavia só os dois primeiros podem aspirar a ser campeões.
António Maio a um 5º lugar do título
Numa temporada em que, nas duas rodas, o centro das atenções continua a ser o tradicional duelo entre o atual campeão Mário Patrão e o sempre candidato ao título António Maio, a balança está a pender para este último que soma quatro vitórias. O piloto da Yamaha necessita apenas de 11 pontos (o que corresponde a um 5º lugar) para se sagrar campeão nacional.
A classe TT1 tem sido a mais interessante de acompanhar. Em cinco corridas houve três vencedores diferentes: Luís Oliveira venceu em Góis, o campeão Sebastian Buhler triunfou na Ferraria e em Idanha, sendo que em Loulé e Proença o mais rápido foi Gustavo Gaudêncio. Apesar disso, é Ruben Faria quem lidera nesta sua aventura pela classe das motos de menor cilindrada, ocupando ainda a terceira posição absoluta do campeonato. De salientar que Buhler, que esteve ausente por lesão em três corridas, está afastado da luta pelo título, numa jornada em que de regresso está Luís Oliveira que apenas participou na prova de abertura da temporada.
Na Classe TT2, António Maio lidera à frente de Mário Patrão e David Megre (separados por um ponto). Hélder Rodrigues ocupa o 4º lugar e todos ainda podem aspirar ao título. Na Classe TT3 a liderança pertence a Fausto Mota (KTM) que reparte com Luís Teixeira (Yamaha), o atual campeão, as vitórias em 2015. Um duelo que dá vantagem ao piloto da KTM, a quem basta terminar Portalegre em 4º lugar.
Se entre os Veteranos o título já está entregue a Luís Aguiar (KTM) o mesmo não acontece na promoção onde João Piloto necessita de somar apenas 5 pontos para assegurar o título, podendo até não necessitar de nenhum, dependendo do resultado do seu adversário direto, João Ricardo Carvalho.
De salientar, nas duas rodas, o regresso de Domingos Santos, campeão TT1 em 2013, que se irá apresentar aos comandos de uma portuguesa AJP PR5.
Tiago Gomes do Free Style ao TT
Entre os Quad a temporada tem sido marcada por inúmeras surpresas e infelizmente alguns dissabores. O piloto de Freestyle Tiago Gomes venceu a primeira corrida, Beto Borrego triunfou na Ferraria de forma destacada e em Loulé coube ao veterano António Moreira subir ao lugar mais alto do pódio. Beto Borrego, que entretanto foi forçado a desistir por duas vezes, regressou aos triunfos em Proença e repetiu a dose em Idanha, o que mesmo assim não foi suficiente para se manter na luta pelo título. Gomes e Moreira estão separados por escassos seis pontos. A Moreira só o triunfo em Portalegre lhe permitirá sonhar com o título e nesse caso Gomes teria de ser segundo para lá chegar.
Resta acrescentar que a estes três cotados nomes se juntam em Portalegre os de André Carita (vencedor em 2013) e Ruben Alexandre, entre 35 pilotos inscritos.
João Lopes campeão UTV/Buggy
Na competição destinada aos UTV/Buggy, que irá contar com quase quatro três dezenas de concorrentes, o campeão de 2012, João Lopes, já assegurou antecipadamente o título. Foi o mais rápido em todos os prólogos e venceu quatro das cinco corridas. Os espanhóis Teo e Roberto Viñaras, assim como Vítor Santos e também Bruno Martins são todavia pilotos que mantém um andamento muito próximo de João Lopes e qualquer um deles é sempre candidato ao triunfo.
Na segunda posição do campeonato está todavia o jovem Miguel Jordão, que lidera a classe Promoção, um ponto à frente de Pedro Santinho Mendes, mas com menos um resultado. O espanhol Teo Viñaras, que venceu em Loulé, ocupa o quarto lugar em igualdade pontual com a francesa Dorothee Ferreira que assegurou já o título entre as Senhoras e também entre os Veteranos. Todos os cinco primeiros lugares são ocupados por pilotos Polaris.
Destaque na prova de Portalegre para a estreia do Polaris RZR XP Turbo pelas mãos de João Lopes e eventualmente de outros pilotos. Estreia-se também o Smart Hayabuza 4WD contruído e pilotado por Jorge Branco.
Desafio Polaris e Classe Hobby
A prova organizada pelo ACP será ainda a quarta e derradeira etapa do Desafio Polaris ACE 570 – competição que tem Ricardo Megre na liderança - e está ainda aberta a pilotos não licenciados que podem correr na classe Hobby.
A Baja 500 Portalegre compreende um prólogo com 5,52 km de extensão e um segundo troço cronometrado (SS2) de 85 km que terão lugar na sexta-feira dia 23. No dia seguinte os concorrentes enfrentarão mais um setor seletivo (SS3) com cerca de 350 km.

Classificações do Campeonato
Moto:
1º António Maio, 80 pontos;
2º Mário Patrão, 71;
3º Ruben Faria, 58;
4º Fausto Mota, 53;
5º Gustavo Gaudêncio, 53;
6º Hélder Rodrigues, 46.

Quad:
1º Tiago Gomes, 84;
2º António Moreira, 78;
3º Beto Borrego, 60;
4º André Carita, 24;
5º Alexandre Silva, 21;
6º António Azevedo, 19.

UTV/Buggy:
1º João Lopes, 80;
2º Miguel Jordão, 57;
3º Pedro Santinho Mendes, 56;
4º Teo Viñaras, 52;
5º Dorothee Ferreira, 52;
6º Vítor Santos, 40.

Desafio Polaris ACE 570:
1º Ricardo Megre, 52 pontos;
2º Joana Lopes, 34;
3º Filipe Ferreira, 29;
4º Alexandre Freitas, 22.